O Que Cristo Espera Do Crente

Publicado em 22/07/2014 - 14:36

TEXTO: GÁLATAS 2.6-10

 

INTRODUÇÃO: Certo dia, quando por aqui andou em forma de homem, o Senhor Jesus, conversando com os seus discípulos, em um daqueles montes da Israel, ao ar livre, desfrutando do bem que a natureza tem para oferecer ao homem, o vento, o sol, a chuva etc. disse: “Seja, porém, o vosso falar: Sim, sim; não, não; porque o que passa disto é de procedência maligna” (Mt 5.37). É um dos ensinamentos basilares para o cristianismo. O que o Senhor nos diz é que nossa postura de crente deve ser firme, segura, a nossa palavra não pode ser outra a não o acerto que assumimos com Cristo no dia da nossa conversão. Por isso é que Cristo espera que...

1 – O CRENTE NÃO VIVA DE APARÊNCIA (V. 6)
Sabe por quê? Porque Deus não nos julga pela aparência. Não adiante você querer se mostrar para as pessoas aquilo que você não consegue ser, aquilo que você não é. Na igreja é uma pessoa, no trabalho é outra pessoa, em casa é outra pessoa. O bipolar é que tem esse tipo de comportamento, mas o que segue a Cristo em sua sã consciência, não. Ele deve viver diligentemente como Cristo ensina, é uma tarefa um tanto difícil, mas com a ajuda do Espírito Santo se consegue. Quando o nosso comportamento não está condizente com os ensinamentos de Cristo, devemos reconhecer que estamos fracos espiritualmente e nos prostrar ante Ele, pedir perdão e procurar se encher do seu Espírito, pedir ajuda. E pessoas boas para se pedir esse tipo de ajuda, além do Espírito Santo, é o cônjuge ou os pais, ou os filhos, pessoas da família, principalmente se lá todos servem a Jesus. Quando nos afastamos em espírito de Cristo, o velho homem ressurge e domina o nosso corpo como um câncer em estado avançado. Viver de aparência é algo que Deus abomina. A Palavra de Deus diz aqui que Ele não aceita a aparência do homem, mas o

que está seu coração. Esse exemplo é claro quando Ele assim diz para Samuel: “Não atentes para a sua aparência...porque o Senhor não vê como vê o homem. Pois o homem vê o que está diante dos olhos, porém o Senhor olha para o coração” (I Sm 16.7). Podemos até enganar muitas pessoas, quando mostramos quem não somos, porém jamais enganaremos ao Senhor. O crente não pode se exaltar, se achar acima dos outros. Em casa, na igreja, no trabalho, no lazer etc. o fato de sermos mais velho do que o outro de idade, de profissão ou de vida cristã não nos dá o direito de nos considerarmos superiores aos outros, não considerar o chamado, ou o ministério do outro. Paulo nos diz aqui que os que se diziam líderes há mais tempo que ele, para ele não significa nada e que eles em nada lhe acrescentaram alguma coisa. Ele era apóstolo escolhido por Cristo e iria fazer o que ele teria que fazer, e que Deus conhecia o que estava em seu coração. As atitudes deles não diziam coisa nenhuma para Paulo. As nossas atitudes que não concatenadas com os ensinamentos de Cristo, não dizem nada para Deus, não dizem nada para os que servem a Deus que fazem parte do nosso convívio, seja familiar, da igreja ou em qualquer outro lugar. Esses comportamentos são de pessoas orgulhosas que querem viver em pecado, e quando continuam assim, estão dizendo com todas as letras que gostam do pecado. E gostar do pecado é gostar de andar afastado de Deus, é querer dirigir a sua própria vida longe de Deus. Agostinho (Teólogo e Filosofo do século IV D.C) acreditava que o primeiro homem tinha tudo para não cair, pois ele tinha tudo o que desejava, mas um dia ele desejou estar em si mesmo, queria ser o dono de tudo que estava ao seu alcance concedido por Deus, ele quis se levantar com os próprios pés, por isso voltou-se contra Deus e caiu.

Reinhold Nibuhr chamou isso de orgulho. Para Agostinho o começo do pecado é o orgulho, o começo do orgulho é o abandono de Deus1.” Aqueles que se diziam líderes em Gálatas estavam orgulhosos, querendo ser donos de si mesmos, porém longe de Deus e, o pior, queriam impedir de que aquele que estava próximo de Deus ensinasse a verdade de Deus aos homens. Não queira, portanto, ser dono do seu próprio nariz no âmbito espiritual, não queira ser orgulhoso, não queira viver no pecado. Por isso, procure se auto-analisar; comece a reconsiderar as suas atitudes em casa com os seus familiares, no seu trabalho, etc. reconsidere o seu temperamento, aprenda a ter o domínio próprio. Por isso, recomendo a você a leitura de Gálatas 5.22. Pergunte sempre: Jesus faria assim? Eis um que vos fala que busca constantemente a ajuda de Deus para não permitir que o velho homem retorne, e mesmo assim, vira e mexe ele quer se aparecer. Mas desejo sempre matar a minha carne e viver pelo espírito. Pois a Bíblia ensina em Efésios assim: “Quanto ao trato passado, vos despojeis do velho homem, que se corrompe pelas concupiscências do engano, e vos renoveis no espírito do vosso sentido, e vos revistais do novo homem, que segundo Deus, é criado em verdadeira justiça e santidade. Pelo que deixai a mentira e falai a verdade cada um com o seu próximo; porque somos membros uns dos outros. Irai-vos e não pequeis; não se ponha o sol sobre a vossa ira. Não deis lugar ao diabo...Não saia da vossa boca nenhuma palavra torpe, mas só a que for boa para promover a edificação, para que dê graça aos que ouvem. E não entristeçais o Espírito Santo de Deus, no qual estais selados para o Dia da redenção, toda amargura, e ira, e cólera, e gritaria, e blasfêmia, e toda malícia seja tirada de entre vós. Antes, sede uns para com os outros benignos, misericordiosos, perdoando-vos uns aos outros, como também Deus vos perdoou em Cristo” (4.22-32). Portanto, procure matar a sua carne todos os momentos e viva pelo espírito, porque Cristo espera que...

2 – O CRENTE USE DA SUA INFLUÊNCIA PARA BENEFICIAR PESSOAS. (Vv 7-10)
O apóstolo Paulo, era um homem de caráter forte, firme, decisivo, e que devido o seu passado de perseguidor de Cristo, sofria, em algumas situações desagradáveis com outros cristãos, porque eles sempre olhavam para Paulo com desconfiança. Daí, também, ele ser firme e duro com os irmãos em Gálatas em suas palavras. Ele precisava se defender e defender-se a si mesmo era defender o evangelho que ele pregava, pois se caísse a sua autoridade apostólica, cairia também a sua pregação. Existiam na igreja outros apóstolos, antes dele os quais tinham grande influência, mas esta não lhes fazia mais autoridades na igreja de Cristo do que Paulo. Ele também era apóstolo, pregador do Evangelho, escolhido por Cristo, que em momento algum se permitiu que essa autoridade o deixasse soberbo, orgulhoso, mas também não dava o direito de outros o diminuírem e tentarem subtrair dele a autoridade recebida de Cristo.

A partir do momento em que ele se tornou seguidor de Cristo procurou crescer na fé e no conhecimento, como ele mesmo afirma em Efésios 4.11-14: “E Cristo mesmo deu uns para apóstolos, e outros para profetas, e outros para evangelistas, e outros para pastores e doutores, querendo o aperfeiçoamento dos santos, para a obra do ministério, para edificação do corpo de Cristo, até que todos cheguemos à unidade da fé e ao conhecimento do filho de Deus, a homem perfeito, à medida da estatura completa de Cristo, para que não sejamos mais meninos inconstantes, levados em roda por todo vento de doutrina, pelo engano dos homens que, com astúcia, enganam fraudulosamente.” Como crente temos o dever de nos aperfeiçoar para a obra do ministério, com o nosso aperfeiçoamento vamos deixando de lado as coisas do velho homem, não querer se achar melhor do que ninguém. Não somos.

O nosso caráter antes de Cristo é um e depois de Cristo deve ser outro; as nossas atitudes antes de Cristo são umas, depois de Cristo são outras completamente diferentes, ou seja, devem ser melhores e bem melhores, pois agora o crente carrega em seu corpo as marcas de Jesus, o caráter de Jesus. O passado ficou para trás, agora o crente é uma nova pessoa, mesmo que alguém queira nos acusar de algo do passado, Cristo já passou a sua borracha, nos limpou, não podemos aceitar que o nosso passado seja pedra de tropeço que impeça de realizarmos o que Cristo nos designou. Paulo é contundente em sua própria defesa, quando refuta os que pareciam ser os líderes da igreja que o rejeitavam. Ele diz que assim como Deus deu missões a Tiago, Cefas e João para os judeus, deu a ele para os não judeus, e os verdadeiros líderes da igreja de Cristo entenderam isso e concordaram com ele e Barnabé, eles firmaram um contrato com um aperto de mão. Eles concordaram que a mesma autoridade que Cristo deu a eles deu também a Paulo.

Pedro não foi escolhido para ser o papa da igreja de Cristo, mas todos eles foram escolhidos por Cristo para influenciar pessoas a virem até Cristo, pois o crente deve influenciar pessoas atraindo-as para Cristo. Usar da sua influência para ajudar famílias que estão se dilacerando a encontrarem o Caminho da paz. Usar da sua influência para ajudar homens, e mulheres de qualquer faixa etária e deixarem este mundo de pecado, de drogas, prostituições e mentiras para servirem a Cristo. Usar da sua influência para ajudar os pobres diligentemente como fez os apóstolos Paulo, Barnabé, Pedro, João, Tiago. Quando o crente toma essa atitude, saiba que é uma grande contribuição para a humanidade. É isso que Deus quer de nós, da Igreja. Não podemos esperar pelo governo, pelas instituições que não tem Cristo como Senhor e Salvador fazer, nós precisamos fazer, é uma das grandes preocupações de Deus. Como crentes, como igreja, o que podemos fazer para melhorar? Pense, busque idéias, pratique-as e compartilhe comigo quem sabe podemos mudar a história de muitas pessoas. Use da sua influência para ajudar este mundo a ser melhor.

CONCLUSÃO: Como um bom crente, em casa busque a paz, no trabalho seja agente de paz, na rua exale a paz, na escola seja a paz. Como bom crente, influencie as pessoas a virem para o seu lado e não permita que as pessoas influenciem você para o lado das trevas. Seja firme em suas conversas, tenha convicção no que você crê e em Quem você crê. Pois Ele o Mesmo que disse seja, porém, o vosso falar: Sim, sim; não, não...é o Mesmo que disse: E ao que quiser pleitear contigo, e tirar-te o vestido, larga-lhe também a capa; e, se qualquer te obrigar a caimnhar uma milha, vai com ele duas...Todo aquele, pois, que escuta estas minhas palavras e as pratica, assemelhá-lo-ei ao homem prudente, que edificou a sua casa sobre rocha; e desceu a chuva, e correram rios, e assopraram ventos e combateram aquela casa, e não caiu, porque estava edificada sobre a rocha. E aquele que ouve estas minhas palavras, e as não cumpre, compará-lo-ei ao homem insensato, que edificou a sua casa sobre a areia; e desceu a chuva, e correram rios, e assopraram ventos, e combateram aquela casa, e caiu, e foi grande a sua queda” (Mt 5.40-41;724-27). Qual homem você quererá ser? Pois saiba que Cristo espera que você seja o primeiro homem, o prudente, este não viverá de aparências, mas quererá usar da sua influência para abençoar pessoas. Ore a Deus para Ele ajudá-lo a ser um crente segundo o Seu coração. Amém e amém!

“Obrigado meu Pai celestial por esta palavra. Usa este teu servo para abençoar muitas vidas na pregação dela, inclusive a minha própria pois eu quer ser o crente que Tu desejas que eu seja. Oro a Ti em nome de Jesus Cristo, o Teu amado Filho. Amém e amém! 27.07.12